PILATES PARA CRIANÇAS

 

Devido aos hábitos cada vez menos sadios das crianças, observa-se um crescente aumento de patologias de coluna na infância.

Principais fatores:

Falta de segurança ao brincar na rua;

Falta de tempo e alto custo para a realização de atividades físicas extra-curriculares;

Facilidade e comodidade ao deixar a criança assistir TV ou jogar video games por horas seguidas;

Má alimentação e crescente obesidade;

Baixa auto-estima e ausência dos pais;

Carteiras de estudo ergonomicamente impróprias (leia mais na pesquisa cientifica);

E para completar, a criança passa horas sentada na escola, carrega mochila pesada e de forma incorreta, e muitas vezes é excluida dos jogos das aulas de Educação Física por ser fraca e descoordenada, se desinteressando pela atividade esportiva.

Precisamos tentar mudar o quanto antes a rotina de nossas crianças. Cabe a todos os profissionais envolvidos e aos pais um trabalho em conjunto para que haja uma eficiente mudança.

O profissional de Educação Física tem um grande papel nesse processo, ele poderá ajudar da seguinte forma:

Identificar o mais cedo possível desvios posturais para que a criança possa ser encaminhada a um profissional especializado.

Melhorar a consciência corporal da criança através de exercícios que desafiem a coordenação e equilíbrio.

Ensinar a sentar corretamente e corrigir os desequilíbrios corporais, como: músculos fracos e encurtados e problemas de desalinhamento.

Desenvolver o gosto pela atividade corporal pela ludicidade. Criar e explorar movimentos, desafiar o controle e fortalecer de forma equilibrada e divertida.

Caso a criança já apresente algum desvio postural visível, ela deverá iniciar um tratamento com profissional especializado. O Pilates poderá corrigir ou minizar este problema, reequilibrando e realinhando o corpo, devendo ser iniciado o mais rápido possível para evitar agravamentos.

Má postura, hiperatividade e falta de concentração podem ser combatidas com o Pilates

As crianças de hoje vivem em um ambiente acelerado e competitivo. O resultado disso é o estresse, a falta de concentração e a má postura. A prática de carregar mochilas pesadas, a postura relaxada em frente à TV ou ao computador e mesmo a quantidade excessiva de atividades são fatores que contribuem para que as crianças adquiram os chamados “maus hábitos” e tenham um ritmo de vida muito exigente. Perdem com isso a postura e a saúde das crianças de hoje e dos adultos de amanhã.
A concentração, a respiração, o controle, o alinhamento, a precisão, a fluência, o ritmo, o “centramento” e o compromisso com o corpo todo, elementos fundamentais para a vida das crianças e adolescentes, são a base de todos os exercícios de Pilates.
O método proporciona a cada criança, por meio dos seus princípios e exercícios, a percepção do próprio corpo e do espaço que ele ocupa, além da conseqüente percepção do espaço que o outro ocupa. Com isso, os pequenos ganham consciência ampla e aprendem a respeitar as possibilidades e os limites próprios e dos outros.
“O conteúdo trabalhado precisa ter um sentido para que as crianças o assimilem e o transformem em conhecimento. É preciso estabelecer identidade e conexões entre as aulas de Pilates e o universo no qual as crianças estão inseridas, para que, com base nisso, elas percebam os benefícios da boa postura, da concentração e da respiração correta. Dessa maneira, elas transformarão o conceito em atitude e procedimento”, afirma Alice Becker, sócia-presidente da Physio Pilates Educação.
A utilização de alguns acessórios, como bolas, discos de rotação e de equilíbrio, rolos de espuma e meia-lua, entre outros, responde pelo aspecto lúdico do Pilates, que desafia, desperta e estimula as crianças. Os equipamentos também podem ser adaptados para elas, e certos objetos, como caixas de diversos tamanhos ou almofadas, são assistentes muito úteis nas aulas. Os exercícios progridem respeitando o limite de cada criança.
Entre os benefícios para as crianças que praticam o Pilates, estão a organização do sistema locomotor e a melhora da postura, da concentração, do humor, do sono, da circulação sangüínea e energética, da digestão, do tônus e da flexibilidade.
Para que o trabalho seja frutífero e estimulante e para que garanta a excelência do aprendizado e a qualidade na execução dos exercícios, o ideal é praticar o Pilates duas vezes por semana, em sessões de uma hora.
A universalização do Pilates
O sonho de levar o Pilates à população infanto-juvenil já não está mais tão distante e com ele se fortalece uma crença pessoal antiga, a de que o Pilates é e será uma revolução mundial pacífica.
O objetivo do projeto “Pilates para Crianças”, em fase de desenvolvimento e implantação pela Physio Pilates em Salvador, em parceria com a educadora Mayra Nascimento, é atender crianças a partir de oito anos. A idéia central é adaptar às crianças o repertório de exercícios de Pilates, tanto os de solo como os realizados nos equipamentos específicos do método.
Além desses exercícios, foram incluídos movimentos e brincadeiras que já pertencem ao mundo infantil e particular de cada uma das crianças, como cambalhotas, trilhas sobre objetos que desafiam o equilíbrio, jogos com bolas de diversos tamanhos e até passos de dança (quando isso faz parte da experiência da criança), sempre  fundamentados nos princípios do método.
Num futuro breve, será desenvolvido um novo projeto, formatado para crianças menores. Dessa maneira, com responsabilidade e excelência, ampliamos para o universo infantil os benefícios da prática de Pilates.

Fonte: http://www.deaimprensa.com.br/dea/index.php?c=ximprensa&a=release&id=863&tid=27

Quais os benefícios do pilates para crianças?
Ele trabalha a consciência corporal de forma muito forte. Observamos que as crianças, por hábitos de vida mesmo, também pela carga de escola, carregar mochila, a postura que ela tem de ficar por muito tempo nas cadeiras do colégio, estudando, acabam desenvolvendo uma má postura decorrente dessas atividades diárias deles. O que a gente tenta fazer no pilates é trabalhar exatamente nessa parte de consciência corporal, pois não podemos trabalhar com eles a parte de fortalecimento em si. A gente alonga a musculatura deles. É incrível, hoje em dia, o grau de encurtamento dos jovens e crianças; isso porque não praticam mais tanto atividades físicas como antigamente, têm a vida muito mais corrida: saem do colégio e vão para o inglês ou outra atividade, muito tempo no computador, e a atividade física em si fica de lado. Então trabalhamos em cima da consciência corporal para refletir em cima de uma postura mais adequada.

E o que significa “encurtamento”?
O ideal seria que todo mundo praticasse uma atividade física que pudesse alongar determinados grupos musculares. E o que acontece? Como eles passam muito tempo na postura sentada, na frente da televisão, do computador, no colégio, eles acabam encurtando, principalmente, essa musculatura posterior das pernas e encurvando os ombros, o peitoral, a musculatura anterior. No pilates, a gente vai justamente tentar trabalhar isso; alongar essa cadeia posterior, que vai possibilitar uma postura em pé mais ereta, mais consciente, e também abrir mais o peito, facilitando o alinhamento da coluna.

Há uma idade mínima para a criança ingressar no pilates?
Podemos trabalhar com crianças a partir dos quatro anos. O ideal é que elas trabalhem em grupos separados, pois não temos como trabalhar crianças junto com adultos porque é algo diferenciado, a aula é voltada para elas. De preferência, que essas crianças mais novinhas façam um esporte associado ao pilates. Mas não tem uma regra de idade; a partir dos quatro anos, elas já conseguem entender o que estão fazendo. Nós vamos moldando aos poucos. Tem que ser algo lúdico, meio como uma brincadeira. Aí eles vão ganhando disciplina, concentração, tranquilidade, aliviam a mente.

Praticando o pilates eles suportam melhor o peso da mochila?
Sim, porque os músculos vão estar mais bem alongados, preparados para esse suporte de carga, além da consciência deles em relação ao corpo.


Fonte: http://tribunadonorte.com.br